Blog do Marketing

Você já ouviu falar na matriz SWOT? Se a sua resposta foi não, então saiba que essa ferramenta já faz parte do planejamento estratégico de muitas empresas.

Nos dias de hoje, é raro encontrar profissionais que não usam ou que não tenham ouvido falar no conceito da matriz SWOT.

Mas não se despere! Neste post, nós vamos explicar todos os detalhes sobre essa metodologia, e como é possível empregá-la em seu negócio com sucesso!

A matriz SWOT tem como principal objetivo trazer a tona todos os pontos em que a sua empresa se destaca, assim como mostrar quais são as suas respectivas falhas e imperfeições.

Além disso, a metodologia SWOT também analisa quais são as oportunidades e ameaças que o seu setor de atuação oferece.

Se você trabalha com a venda de arara de parede, dentre outros produtos de decoração, como será que anda o seu mercado? E as novas tendências de decoração? Como está a economia e a concorrência?

Neste post, venha descobrir como a matriz SWOT pode ser a solução para você elaborar estratégias eficientes e precisas. Continue lendo para saber mais!

Afinal, o que é matriz SWOT?

De forma geral, a matriz SWOT se trata de uma avaliação dos pontos fortes e fracos de uma empresa, assim como das oportunidades e ameaças do mercado externo.

Também conhecida como matriz FOFA, a matriz SWOT significa, respectivamente: strengths (forças), weaknesses (fraquezas), opportunities (oportunidades) e threats (ameaças).

Além disso, tanto a análise das forças como a da fraqueza devem ser feitas de modo interno, ou seja, se você trabalha com a fabricação de tubo de cobre, é preciso verificar os fatores positivos e negativos dentro da própria organização.

Já as oportunidades e ameaças devem ser vistas externamente à empresa. Tudo que se relaciona com o mercado, como concorrentes, clientes, fornecedores, política, entre outros, podem ser analisado como ameaças e oportunidade para o seu negócio.

Como construir uma análise SWOT?

Para entendermos com a matriz SWOT funciona na prática, é preciso dividir e analisar cada um dos ambientes, seja ele interno o externo.

Após isso, a empresa deve verificar seus processos internos e o mercado em que ela atua. Vamos dar exemplos práticos de uma indústria que fabrica silestone, por exemplo:

Forças

Aqui, a empresa destaca todos os seus pontos portes. Ela deve verificar quais são os seus principais diferenciais competitivos, como:

 

  • Qualidade nos materiais e no produto;
  • Prazo de entrega;
  • Comunicação otimizada;
  • Baixa precificação dos materiais; entre outros.

Fraquezas

Ao contrário das forças, na listagem das fraquezas, é preciso identificar os pontos que precisam ser melhorados, como:

  • Mão-de-obra despreparada;
  • Alto custo de produção;
  • Produtos sem qualidade; etc.

Oportunidades

As oportunidades dizem respeito a todos os fatores que podem influenciar positivamente o seu negócio, como:

 

  • Alta demanda dos materiais por conta de uma nova tendência no mercado;
  • Fornecedores com preços atrativos;
  • Concorrência com estratégias desatualizadas; entre outras oportunidades. 

Ameaças

Por fim, as ameaças são fatores que influenciam negativamente o seu negócio. Veja abaixo alguns exemplos:

  • Competitividade acirrada;
  • Preço e produtos muito semelhantes;
  • Baixa demanda sazonal; etc.

Agora que você já entende sobre todos os detalhes da Matriz SWOT e como ela funciona na prática, o que acha de adotar essa análise e ter sucesso em suas estratégias? Gostou do post? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

Compartilhe